CARTOGRAFIA SOCIAL E GEOGRAFIA ESCOLAR: aproximações e possibilidades

Marquiana de F. Vilas Boas Gomes

Resumo


A cartografia social (CS) tem se configurado como uma importante metodologia participativa para o engajamento político e social de comunidades tradicionais e grupos sociais fragilizados social e economicamente. Na luta pelo território e sua defesa, um processo de CS configura-se como instrumento de produção de conhecimento e mobilização. Tal potencial tem fomentado a incorporação desta metodologia em processos formativos, devido as suas contribuições reais à Geografia Escolar (GE). Neste artigo, objetiva-se problematizar as aproximações entre este tipo de cartografia com a escola, dando enfoque para as contribuições que levem à compreensão do espaço geográfico por crianças e jovens escolares. Os posicionamentos se apoiam na literatura sobre CS, Cartografia e na GE. Como resultados apresentam-se, sumariamente, alguns cuidados a serem observados pelo professor de geografia quando este estiver usando essa metodologia para fins pedagógicos. Dentre estes estão: compreender os princípios da cartografia social; a adequação ao nível de ensino; intencionalidade pedagógica definida; estar aberto ao inesperado; a valorização dos saberes dos escolares, objetivos e subjetivos; o investimento na dialogicidade, criatividade e ludicidade; valorizar a escala local contextualizada em relação às demais dimensões nacional e global; e a compreensão do processo e divulgação do produto (fascículo), com textos, imagens e mapa situacional; Isto posto como forma de engajamento político, proposições e encaminhamentos junto à comunidade. 

PALAVRAS-CHAVE 

Cartografia Social. Geografia Escolar. Crianças e Jovens Escolares. 

 

SOCIAL CARTOGRAPHY AND SCHOLAR GEOGRAPHY: approaches and possibilities 

ABSTRACT 

The social cartography (SC) has been set as an important participative methodology for the social and political engagement of traditional communities and social groups weakened social and economically. In the struggle for the territory and in its defense, a process of SC set itself as knowledge production tool and mobilization. This potential has promoted the incorporation of this methodology on formative processes, due to their real contributions for scholar geography. In this paper, the aim is to problematize the approaches between this kind of cartography with the school, giving focus to the contributions that lead to an understanding of the geographic space by the children and the young people students. The positions are supported by the literature about SC and the scholar geography. The results are showed, summarily, some thoughts to be observed by the geography teacher when he is using this methodology for educational purposes. Among them are: to comprehend the social cartography principles; the adaptation to the learning level; pedagogical intentionality defined; be open to the unexpected; the valorization of the subjective and objective knowledge from the school; the investment in the degree of dialogue [dialogicidade], creativity, and playfulness; to value the contextualized local scale in relation to the other dimensions national and global; and the process comprehension and dissemination of the product (fascicle), with texts, images and the situational map; This put as a way of political engagement, propositions and issues forwards at the community. 

KEYWORDS 

Social Cartography. Scholar Geography. Children and young. People students. 

 

ISSN: 2236-3904

REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO EM GEOGRAFIA - RBEG

www.revistaedugeo.com.br - revistaedugeo@revistaedugeo.com.br


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.